Sobre relacionamentos, pessoas lixo e evolução pessoal

Ontem me peguei vendo um vídeo de uma youtuber sobre "pegar boy pra criar". E de tudo o que ela disse, a única coisa em que con...


Ontem me peguei vendo um vídeo de uma youtuber sobre "pegar boy pra criar". E de tudo o que ela disse, a única coisa em que concordei, é que mulher não tem que entrar em relacionamento achando que vai mudar o homem. Ela chorou as pitangas que melhora o moço, desconstrói o boy, para no fim das contas, acabar levando um pé na bunda e ele ir embora, ser uma pessoa melhor pra outra mulher.

Assim... Ninguém é obrigado a ficar por gratidão não tá? Se não tem mais afeto, tesão, interesses comuns, tem mais é que desocupar a moita, tchau, Deus me dibre um homem ficar comigo porque é grato por eu ter ajudado em algo.

"Ah mas eu me dediquei, eu fui paciente... Gente, é relacionamento, envolve duas pessoas diferentes, não é um vestido feito sob medida. Se não tiver dedicação, troca, paciência, melhor não ter. Assim como quem não quer latido ou ter que limpar cocô e xixi arruma uma pelúcia e não um cachorro, quem não quer conviver com diferenças, que compre um dildo. Até porque o outro também se dedica, também tem que ter paciência, também precisa aguentar as nossas peculiaridades também tem algo a nós ensinar. Mesmo que seja nos ensinar o tipo de pessoa que não queremos.

O Mariano essa semana, tuitou sobre como ele mudou o modo de pensar e ficou menos machista ao meu lado. Ele tinha 19 anos quando começamos a namorar, eu tinha 33. Que BOSTA de pessoa eu seria com tanta diferença de idade se não conseguisse passar algo bom pra ele? Que droga de pessoa passa pela vida de alguém sem fazer diferença?

E outra coisa; a gente também tem que fazer uma auto análise nessas horas. Porque a pessoa pode estar achando que é a última coca cola do deserto, mas quando para pra olhar bem, tá pior que a Schin Cola que sobrou do churrasco da semana passada. Já pensou que nem todo mundo te vê como você acha que é? Tem muita gente que se acha o supra sumo da humanidade, mas na verdade é só a pessoa lixo da relação, só não se deu conta disso.

Aos 25 anos eu namorava um cara da minha idade. Lutador de Muay Thai, 1,95 de altura, magro porém atlético, não fumava, não bebia, tinha moto, estava financiando um carro, tinha o seu próprio negócio, era gentil com o meu filho. E ele dizia que a gente tinha que se casar logo, porque na nossa idade, não iríamos arrumar nada melhor. Tipo, olha só como ele era maravilhoso, oferecendo um lar para uma pobre mãe solteira! Não bastando isso, ele me questionava às vezes se eu o deixaria se ele perdesse a loja, tivesse que vender a moto. Olhei bem pra ele e mandei enfiar tudo no cu, porque eu trabalhava e não precisava de nada vindo dele. Eu sempre conquistei minhas coisas, não é porque ele estava melhorzinho de situação que eu ia deixar de ser a mulher que eu sou. O cara estava se achando a melhor coisa que poderia acontecer na minha vida, achava que era um bem pra mim. Um tempo depois, terminei o namoro, ele ficou puto, hackeou meus e-mails e redes sociais (Orkut e uma do Hotmail que eu não lembro agora) , deletou tudo, me chamou de vagabunda pra baixo, tudo porque eu não quis a pessoa maravilhosa que ele era.

Então, antes de descer o pau e falar "AIN EU FIZ TANTO POR CICLANO E ELE ME DEIXOU" põe a mãozinha na consciência e pensa. Vai que você descobre à tempo, que é um pela-saco, caga regras e MUDA A SI, antes de querer cobrar os outros. E se você realmente concluir que o peso morto da relação é a outra parte e desse jeito está ruim pra você, pula fora. As pessoas mudam porque elas querem, quando querem e porque querem, não adianta você mover céus e terra.

Finalizando. Seja uma pessoa bacana, espalhe o bem. Não importa se as outras pessoas vão retribuir ou não, isso é problema delas, ninguém é obrigado a te lamber porquê você foi legal. Até porque todos nós somos normais, com erros e acertos, já fomos escrotos com outras pessoas em algum momento da vida.

***

Pode ser interessante para você

0 comentários

#ad

Flickr Images

Web Analytics