Versões versus - The Sound of Silence

Clássico do folk norte americano, The Sound of Silence surgiu em 1964 como The Sounds of Silence , gravada pela dupla Simon & ...

Versões da música The Sound of Silence blog Mineira sem Freio



Clássico do folk norte americano, The Sound of Silence surgiu em 1964 como The Sounds of Silence, gravada pela dupla Simon & Garfunkel. Composta por Paul Simon, em fevereiro daquele ano, apenas com voz e violão a música ganhou uma versão remasterizada com a inclusão de outros instrumentos sem que a dupla fosse comunicada pela gravadora. Esse pequeno atrevimento teve sua vantagem; Simon e Garfunkel que estavam separados retomaram a parceria com o sucesso ainda maior dessa segunda versão, tendo ficado em primeiro lugar na Hot 100 da Bilboard em 1966.

Além de ficar marcada como o primeiro sucesso da dupla e um dos ícones do folk, The Sound of Silence chegou até as novas gerações também como parte do filme Watchmen, lançado em 2009; e da série The Leftovers, do canal HBO, em 2014, entre outras incursões no cinema e televisão. A canção também é usada como introdução na turnê Nightmare After Christmas, da banda Avenged Sevenfold.


Como todo grande sucesso, a música ganhou algumas versões, inclusive em português gravada pela dupla Leandro e Leonardo. Composta pela dupla Cilinha e João Viola, ganhou o título de É por você que canto. E é bonitinha tá, sem preconceitos, por favor.

A minha versão favorita além da original é a da banda Disturbed. Que voz é daquele homem, socorr, bom deixa pra lá, vamos ouvir algumas versões do som do silêncio?


Versão original



Versão da sapequinha da gravadora com mais instrumentos




Versão brasileira Herbert Richers, quer dizer, Leandro e Leonardo



Versão da banda Nevermore

Versão da banda Disturbed

The Sound Of Silence

Hello darkness, my old friend
I've come to talk with you again
Because a vision softly creeping
Left its seeds while I was sleeping
And the vision that was planted in my brain
Still remains within the sound of silence

In restless dreams, I walked alone
Narrow streets of cobblestone
'Neath the halo of a street lamp
I turned my collar to the cold and damp

When my eyes were stabbed
By the flash of a neon light
That split the night
And touched the sound of silence

And in the naked light I saw
Ten thousand people, maybe more
People talking without speaking
People hearing without listening

People writing songs
That voices never share
And no one dare
Disturb the sound of silence

"Fools" said I, "you do not know
Silence like a cancer grows
Hear my words that I might teach you
Take my arms that I might reach to you"
But my words like silent raindrops fell
And echoed in the wells of silence

And the people bowed and prayed
To the neon God they made
And the sign flashed out it's warning
And the words that it was forming

And the sign said
"The words of the prophets
Are written on the subway walls
And tenement halls"
And whispered in the sound of silence

Pode ser interessante para você

0 comentários

#ad

Flickr Images

Web Analytics