O táxi, o prefeito e quem realmente se ferra...

Enquanto se discute a vida sexual de uma criança de 10 para 11 anos (e não se iludam, a delas tem sido bem mais movimentada que as nossa...



Enquanto se discute a vida sexual de uma criança de 10 para 11 anos (e não se iludam, a delas tem sido bem mais movimentada que as nossas, reles adultos), um outro assunto tem me preocupado nestes dias tão estranhos. O preço da corrida de táxi.

Uberaba, reza a lenda, tem a terceira maior frota de veículos do estado. Em setembro de  2011 eram 167 mil veículos para uma população de quase 300 mil habitantes, ou seja, praticamente todo mundo tem carro ou moto. Logo, quem anda de táxi numa cidade dessas? Pobre ferrado feito eu que não tem carro nem moto,  senhorinhas de idade, menores de idade que racham o preço do táxi pra ir pra balada, e gente que quer beber e não quer se preocupar em dirigir. 





Aí, neste lindo ano da graça de Deus, de 2012, o prefeito resolve que o táxi não pode ter tarifa única, o que tem sido praticado nos últimos anos (R$14,00 dentro da cidade), o certo e justo é voltar a ser cobrado pelo taxímetro. Até aí tudo bem, realmente, uma corrida da rodoviária até o bairro Santa Marta por exemplo, custar o mesmo que uma corrida da rodoviária até o Residencial 2000 não parece muito justo... Pra quem mora no Santa Marta, óbvio.
No dia oito de fevereiro deste ano, foi publicada no Porta Voz a Regulamentação da Lei nº 11.350/2011, que “Dispõe Sobre o Serviço de Táxi no Município de Uberaba”. Bem, a parte que interessa a nós, usuários do serviço, é justamente a que define que a cobrança será feita baseada no taxímetro seguindo a seguinte tabela de preços:

DECRETO Nº. 4039, DE 1º DE FEVEREIRO DE 2012
      Art. 1º - A tarifa do serviço de táxi no Município de Uberaba é fixada em:

          I – bandeirada inicial: R$ 10,00 (dez reais);
          II – quilômetro rodado: R$ 1,00 (um real);
          III – fração de quilômetro: R$ 0,10 (dez centavos);
          IV – hora parada: R$ 18,28 (dezoito reais vinte oito centavos).


      § 1º – Acionado o taxímetro, este começa a marcar a fração, após, percorrida a distância inicial   de 03 (três) quilômetros, caso, o percurso final seja inferior a 03 (três) quilômetros, o usuário deve pagar o valor da bandeirada inicial.


      § 2º - As tarifas de serviço de táxi, de que trata o caput deste artigo, são válidas a partir de 60 (sessenta) dias da publicação da Lei Municipal nº 11.350/2011.

Pra facilitar a vida, quem quiser conferir esses preços, eles estão na página 107 do Porta Voz 958, do link acima.

Bom, passou fevereiro, passou março, chegamos em abril, o táxi continua 14 dilmas e eis que de repente, não mais que de repente, o assunto volta ao Porta Voz  agora, o 972. Dessa vez, não só determina que o taxímetro comece a valer em data certa (04/05/2012 - em plena Expozebu) como também MUDA os valores estipulados no decreto 4039:

DECRETO Nº. 4361, DE 04 DE ABRIL DE 2.012.
D E C R E T A:

      Art. 1º - A tarifa de serviço de táxi no município de Uberaba é fixada em:

          I - BANDEIRADA INICIAL: R$ 12,00 (doze reais);
          II - QUILÔMETRO RODADO BANDEIRA I: R$ 2,00 (dois reais);
          III - QUILÔMETRO RODADO BANDEIRA II: R$ 2,40 (dois reais quarenta centavos)
                    IV - FRAÇÃO DE QUILÔMETRO: R$ 0,20 (vinte centavos);
          V - HORA PARADA: R$ 18,50 (dezoito reais cinqüenta centavos);

      § 1º - Considera horários passíveis para utilização da bandeira II:
          I - Dias úteis: das 20:00h às 06:00h da manhã do dia seguinte;
          II - Sábados: a partir das 14:00h;
          III - Domingos e feriados: o dia todo, até as 06:00h da manha do dia seguinte;


Ah, e a bandeirada inicial deixa de ser de 03km para ser de 02km...

Ou seja até o dia 4 de maio, se eu quiser pegar um táxi, pagarei para ir a qualquer lugar, R$14,00, independente de horário. A partir do dia 4 de maio, se eu pegar um táxi da minha casa até a praça Rui Barbosa, considerada o centro de Uberaba, pagarei pelos 8 km do trajeto, R$22,00. Lindo não é?



Sinceramente, eu gostaria de entender essa mudança de valores, assim tão repentina e elevada, sendo que os valores estipulados em fevereiro, nem sequer chegaram a ser praticados. E o sindicato? Está de acordo, tem algum estudo do impacto que isso acarretará? Ninguém os obrigou a trabalhar com preço único, partiu dos próprios taxistas, a população só se adequou. Tanto que nem me lembro qual foi a última vez em que vi um táxi com taxímetro.

Se alguém mais inteirado do assunto puder me explicar preços tão descabidos, por favor, me retire da ignorância. Por que, mais do que me sentir ignorante quanto a esse aumento, estou é me sentindo uma verdadeira idiota.

Pode ser interessante para você

4 comentários

#ad

Flickr Images

Web Analytics