Uberaba 190 anos

(...) A ti Uberaba, terra infeliz, desgraçada, prostituída, ofereço este meu modesto trabalho. És infeliz, estás andrajosa e descalça, mas...



(...) A ti Uberaba, terra infeliz, desgraçada, prostituída, ofereço este meu modesto trabalho. És infeliz, estás andrajosa e descalça, mas tens riquezas incomparáveis. Campinas cheias de poesias, soberbas matas, águas cristalinas e puríssimas: enfim, tudo o que pode fazer-te linda entre as mais lindas (...)

Recorrer ao texto inspiradíssimo de Doca para falar de Uberaba é um clichê absurdamente uberabense, mas passam-se os anos e nada cai tão bem para se falar da Princesa do Sertão quanto as palavras de Doca em Terra Madrasta.

Uberaba é uma cidade rica, onde a grande maioria da população é pobre; tem uma das maiores frotas de veículos do estado (01 veículo para cada 1,7 habitantes) mas a maioria da população tem que se submeter a um sistema de transporte, que apesar de ter melhorado um pouco ainda é falho, onde apesar de ser uma cidade universitária os investimentos para atrair estudantes de outras cidades ainda são imperceptíveis, onde a melhor escola pública em termos de infra estrutura da cidade e talvez de todo o triângulo mineiro, tem uma das piores qualidades de ensino da cidade, entregue à pequenos projetos de marginais, onde só tem opções de lazer quem tem dinheiro pra comer e beber fora ou gosta de sertanejo e pagode, ondem apesar de ser referência em medicina, a população tem que submeter a serviços de saúde falhos...






Uberaba é decididamente uma terra madrasta. O time do Uberaba, escurraçado de sua sede, sobrevive de teimoso, depois de ter passado por gestões corruptas perdeu tudo, só não perdeu o amor de sua torcida, e tem apresentado resultados que superam as expectativas de quem vê a situação do time; Chico Xavier que durante anos fez a festa do setor hoteleiro e de turismo numa forma geral, é solenemente ignorado em seu centenário, afinal, não gera mais lucros à cidade, a não ser na construção eterna de um memorial que tenho lá minhas dúvidas se realmente se destina a homenagear o médium...Dona Aparecida Conceição, que foi humilhada pela população da cidade, que precisou esmolar em São Paulo, para contruir aqui um hospital que se tornou referência no tratamento do Pênfigo, e que foi presa em São Paulo, à mando de autoridades uberabenses que se sentiam constrangidas pela mendicância dessa guerreira na grande São Paulo, essa mulher que tanto lutou e dignificou o nome da cidade, morreu sem as devidas homenagens, morreu vendo a obra de sua vida, definhar lentamente, ignorada pela cidade a quem prestou tantos serviços.


E no entanto é uma terra que desperta amores e paixões aparentemente inexplicáveis; eu que rodei todo o país, nos meus tempos de hippie, sempre sonhava com o momento do retorno, da visita à minha terra, tão linda, com um povo tão doce, que não nega uma informação, ou um copo de água a quem pede, que acorda cedo no sábado pra ajudar na sopa dos mais carentes, que distribui brinquedos na periferia pra que a magia do dia das crianças e do natal não se perca na crueza do dia a dia, essa cidade de meninas bonitas e ruas estreitas, mesmo com todos os problemas, é a minha terra, o meu porto seguro, o meu norte.

Parabéns ao povo de Uberaba, e que essa nossa terra madrasta, um dia deixe de ser explorada por tantos gigolôs protegidos pelo poder que exercem e se torne verdadeiramente mãe de seus filhos.

Pode ser interessante para você

3 comentários

#ad

Flickr Images

Web Analytics