Um pouco de música Rai

Aos puritanos de plantão; esse é um post sobre música pop, então não se descabelem, por favor. Brasileiro é uma mistureba danada, não tem...

Aos puritanos de plantão; esse é um post sobre música pop, então não se descabelem, por favor.

Meez 3D avatar avatars games

Brasileiro é uma mistureba danada, não tem jeito, e negar que também corra sangue mouro em nossas veias latinas, seria ignorar parte da nossa história...Eu mesma, quem me conhece, crê piamente que eu seja descendente, pelo tom da pele, pelos olhos e pelo indefectível nariz que chega pelo menos uns cinco minutos antes de mim a qualquer lugar...

Eu sou uma apaixonada pela cultura árabe, talvez pela forte influência libanesa em Uberaba, talvez por que esteja no sangue mesmo, tenho meu Al Corão, meu As mil e Uma Noites ambos traduzidos por Mansur Chalita e desde criança, tenho uma paixão incontrolável pela música árabe, em especial o Rai.

Mas que raios é Rai? Simples queridos, Rai, é um estilo dissidente de música árabe, que incorporou elementos ocidentais e que sempre que bate em terras brasileiras, faz um sucesso danado.



Prova disso? Em 1987 uma novela das 19 horas da Globo, trazia uma música que se tornaria uma febre em terras brasileiras; na novela Sassaricando a insuportável personagem Fedora (Cristina Pereira) tinha por tema a música Fata Morgana do grupo alemão (???) Dissidenten. A música ganhou uma versão tosca e romântica na voz do cantor português Roberto Leal e também fez muito sucesso (por favor, ignorem a dançarina do clipe!!!)


Fata Morgana

Nós pedimos por maior clareza.
Mas sua atitude durante o acordo não pode ser explicado.
Sua luz se apaga.
Cego! Nosso cérebro já está cansado.
Em uma vida que consiste em horas,
Nós não sabemos onde o caminho leva.
Pedimos a vocês para a cura,
Mas as feridas do ouvinte foram menores
A mentira tornou-se clara: um vê aos
Servos do Senhor servirem a
Ignorância, preguiça, luxúria.
O Faraó se recusa a virtuosa.
O imã não vem para o desempenho da Oração.
A mentira foi clara.
Perguntamos durante um tempo de
Caos, por clareza.
Paciência e clareza, mas vindo de você.
Fata Morgana foi lançada em 1983...com uma letra dessas, vocês acham que atualmente ela faria o sucesso que fez? Tenho cá minhas dúvidas...







Em 1998, a cantora, compositora, coreógrafa, produtora, filantropa, dançarina e historiadora colombiana Shakira, em um dos seus últimos trabalhos antes de se meter no mercado americano, lança a música Ojos Asi; foi também nessa época em que ela começou a trilhar pelo caminho da própria sensualidade, o que auxiliou muito no seu sucesso internacional e acabou afastando-a do Brasil, onde vinha com frequência e onde Ojos Asi fez um sucesso imenso, com sua letra em espanhol e um refrão em árabe:




Em 1999 uma música que me matou de raiva e eu vou explicar o porquê; nesse ano, Sting, lança a belíssima Desert Rose, com vocais árabes belíssimos, e, eu muito burra, achava que era uma mulher a fazer aqueles vocais; pois bem, muitos anos depois, graças ao Youtube, eu descubro que não era mulher patavina nenhuma, na verdade, os vocais são do cantor argelino Cheb Mami. Até hoje quando vejo o clip sinto vontade de esmurrar o pobre Cheb Mami, apesar de adorar sua música e tê-lo como um dos meus favoritos no Reverbnation.
Desert Rose, além de ser incluída na trilha sonora da novela "O Clone", também serviu de trilha para comerciais europeus da marca Jaguar, por ser em um jaguar as cenas em que Sting viaja pelo deserto (triste mesmo é só o Sting se achando a dançarina do ventre em 3':30" do clip...)






Em 2000 o Brasil trava conhecimento com o Rei do Rai, o Argelino Khaled e sua irresistível El Arbi; eu procurei feito uma camela, pelo clip oficial de El Arbi, mas não encontrei, então paciência...O sucesso foi tanto, que Khaled veio ao Brasil, e bateu cartão em diversos programas de tv, quase em todos com a mesma camisa verde e rosa...




Pegando carona do sucesso de Khaled, o jovem Tarkan, teve seu one hit Simarik conhecida como música do beijinho, kiss kiss e outros nomes bobos do gênero, com direito até a versão nacional do nosso Günter Tupiniquim, o Latino (mas nem vem que não vou colocar a versão do Latino aqui). Se por um lado, Cheb Khaled, canta o ser árabe, Tarkan, fala de sexo, sedução e romantismo (outro música q eu tenho minhas dúvidas se seria do mesmo jeito hoje em dia; em Simarik ele passa todo o clip fugindo de mulheres que querem beijá-lo, para no fim do clip, dar um beijinho na testa de uma menininha loira q chupa o dedo...)




Bom, aqui tratei das músicas mais conhecidas, até porque se, fosse continuar tratando do assunto, ninguém aguentaria ler o post todo, que já está enorme, diga-se de passagem. Mas aos que leram até aqui, aproveitem, sintam a essência da música, afinal em cada um de nós, existe um pouco de deserto e uma esperança de Oásis pelo caminho...

Sallam al Aleikum habib!

Pode ser interessante para você

7 comentários

#ad

Flickr Images

Web Analytics