"Light my candles in a daze 'Cause I've found God..."

No início da minha adolescência uma das coisas que eu aguardava ansiosamente era o Hollywood Rock, um festival com bandas nacionais e intern...

No início da minha adolescência uma das coisas que eu aguardava ansiosamente era o Hollywood Rock, um festival com bandas nacionais e internacionais, que acontecia normalmente no início do ano (sim, naquela época, a indústria do cigarro podia patrocinar eventos culturais, e eram os melhores). Em 1993 estava eu com minha fita de vídeo virgem a postos dentro do aparelho, para gravar as apresentações de L7, Red Hot Chilli Peppers (na época eu tinha birra do RHCP por que a crítica havia apelidado a música Under the Bridge de a "Stairway to Heaven dos anos 90", uma blasfêmia aos meus ouvidos, rsrsrsrs) Alice In Chains e Nirvana.
Era o auge do movimento Grunge, que eu, fã de hard rock, via com olhos tortos, mas era inegável o talento de bandas como Nirvana e Pearl Jam que se destacavam muito acima das outras.
O Nirvana mudou a história do rock, nada foi como antes, depois da chegada daqueles meninos largados e o peso disso tudo foi demais para um garoto tímido, traumatizado e despreparado como Kurt. Brilhante, mas frágil.
O que eu assisti durante o show do Nirvana, foi algo que na falta de palavras para descrever, foi no mínimo, chocante, impactante e um tanto quanto revoltante também.
Músicos completamente bêbados, a platéia em catarse, a simulação de masturbação de Kurt e depois, seu rosto triste e desfigurado pelo álcool e drogas, suas mãos segurando a câmera para cuspir na lente.
Sim, ele cuspiu em mim que o assistia; a platéia delirava, alheia, ao desastre do show delirava.
Muito se falou, na época, foi o assunto da semana, do mês, do ano.
E no ano seguinte voltou-se a falar, pois em 5 de abril Kurt foi encontrado morto, entupido de heroína e com um tiro na boca; era o fim de uma mente brilhante e perturbada.
Aquele Kurt trôpego, que fez um arremedo de show no Brasil em 93 não era sequer a sombra, do artista; era uma fuga uma tentativa de anestesiar uma dor tão grande que nada conseguia controlar.
Kurt como artista era um gênio, como homem foi um fraco; que bom, que a arte assim como o amor é algo que nunca morre.

Discografia







Vídeos







http://www.youtube.com/watch?v=xjSF441Trq8
Essa é uma paródia da música "Smell Like Teen Spirit" eu bem que gostaria de ter incorporado o vídeo aqui, mas ele só está liberado para visualização no youtube então, quem quiser, é só clicar no link. Essa clip era tão exibido quando o original na época.









Especial do Fantástico




Pode ser interessante para você

1 comentários

#ad

Flickr Images

Web Analytics